jun
30

Empodere-se!

Praticar Design Thinking é pensar em novos produtos e serviços por meio da investigação, colaboração, percepção e foco no ser humano. Quando conectado com Business Design, Técnicas de Empatia, Ciência das Redes e muita mão na massa, o design thinking cria as condições para empreender e intraempreender de uma maneira totalmente inovadora.  Quem fez essa conexão é Gabriel Coelho, CEO fundador do Empodere-se, que desenvolveu O Design Thinking Weekend, que terá sua terceira edição neste final de semana, 3,4 e 5 de julho, com o objetivo de inserir um processo de inovação e criatividade na vida dos participantes por meio da experimentação, colaboração e empatia.

image

Alguns nomes confirmados no evento são William Juliano, da Kickoff; Octavio Maron, do Pontomobi; Ana Fontes, da Mulheres Empreendedoras; Chieko Aori, do Blue Tree Hotels, Renata Amaral, da ABD, Sandra Tuchi da FGV, Alexis Pagliarini, do WTC, além de Gabriel Coelho.

O Evento acontece entre os dias 03 e 05 de julho, no WTC – World Trade Center, com início na sexta às 18h e encerra no domingo às 20h. Para se inscrever, acesse o site www.designthinkingweekend.com/sao-paulo/ .
Obtenha o desconto especial de 25% do valor da inscrição, exclusivo para alunos e indicados do IBModa, utilizando o código promocional “ibmoda” no site.

Duvidas? Entre em contato com a organização: Patricia Graciolli, (11)97200-7716, patriciagraciollim@gmail.com

mar
31

Quando Moda, Criatividade e Jóias se relacionam <3

Mais um mercado em busca de identidade? Quase. O mercado de jóias tem apresentado números significantes quando se trata de sua expansão (com faturamento anual de US$ 6,5 bilhões, segundo dados do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos) , sem contar a onda de otimismo pré copa do mundo, o que significa basicamente que o setor vai entrar numa briga acirrada para alcançar o consumidor.
Hoje jóias e bijuterias, carregam valores conceituais agregados que vão além de suas qualidades materiais ou seu valor quanto matéria. A aplicação correta desses valores pode ser crucial identificação do consumidor com o produto, o que abre portas para o profissional que tenha o dom de anexá-los e representá-los em suas criações.
Esta é a hora perfeita para quem quer furar a bolha e entrar no mercado, os ingredientes secretos são conhecimento e criatividade. Na busca de aliar estes dois componentes surgem inúmeras parcerias entre o setor produtor de jóias e outros como os de marketing (branding), artes plásticas e o da moda respectivamente. O mercado precisa da criatividade.

Design: Raisa Balona

Design: Raisa Balona

“- Busco referências para a criação das peças nos principais movimentos artísticos do início do século 20, como o Art Nouveau. Desde a arquitetura da época quanto os cartazes ilustrados me oferecem ideias para as cores, formas e texturas. A tradução disso para o produto que desenvolvo exige uma boa escolha de matéria-prima e às vezes até a desconstrução do uso comum de certos materiais. São esses exercícios que podem levar a resultados interessantes.”
(Raisa Balona, a designer de jóias tem como principal característica a confecção de peças com referência à moda antiga, especialmente da década de vinte.)

Design: Lívia Bassi

Design: Lívia Bassi

Se de um lado as marcas precisam praticamente pendurar a melancia no pescoço para de destacar, do outro há uma legião de designers busca um espaço para entrar em cena e expor suas habilidades criativas. Um perfeito “ganha x ganha” principalmente para o profissional, uma vez que este é um mercado em crescimento. Temos também a participação de grandes redes FastFashion que atacam na busca de cada vez mais oferecer uma gama variada de produtos ao consumidor investindo em linhas especiais e peças derivadas de suas coleções de moda e buscam oferecer mais especializações aos seus criadores.

“-Escolhi a joalheria como forma de me expressar há quase 10 anos, passando por diversas fases. Trabalhei para grandes indústrias criando coleções, ministrei cursos internacionais, tive uma marca comercial…”
(Lívia Bassi, designer de jóias autoral, atual professora do curso de Design de Jóias do IBModa)

IBModa promove curso online de design de jóias, clique para saber mais.

IBModa promove curso online de design de jóias, clique para saber mais.

Quem sai ganhando?
Os profissionais que dominam os conhecimentos gerais, específicos e técnicas da produção de jóias.

Quem ganha mais?
O profissional que tenha bagagem cultural e criativa para ser associada a técnica, resultando no conteúdo que o mercado precisa levar ao consumidor. Este profissional tem a responsabilidade de filtrar o que a marca tem e não abrir mão do que é belo.

mar
13

Fast Fashion em terras Tupiniquim

abre1

Hoje será o lançamento da FOREVER 21 aqui no Brasil, com abertura para o público dia 15 e você está se perguntando o porque desse zumzumzum?
Bom, será a primeira cadeia fast fashion estrangeira a aterrissar em terras tupiniquins com o preço equivalente ao que possui em outros continentes. Sim, ela está trazendo os modelos fashionistas e promete manter o mesmo preço que pratica em todos países, mantendo a faixa entre R$8 a R$200.

A marca é conhecida por ser uma das mais procuradas pelos brasileiros fora do Brasil. Por enquanto estão previstas 7 lojas: duas em São Paulo, duas no Rio de Janeiro, e outras três em Porto Alegre, Ribeirão Preto e Brasília.

A primeira loja no Morumbi Shopping, tem um espaço de mais de 1172m², e o mix de produtos inclui vestuário, lingerie e acessórios.

Forever-21-1024x768

Várias intervenções já estão agendadas para São Paulo, entre elas, o flash mob em três pontos da Avenida Paulista: calçadas do Parque Trianon, prédio da Gazeta e Center 3. A partir das 11h30, um grupo de 30 bailarinos dançará ao som de “Feel so close”, de Calvin Harris.

E tem mais: no dia da abertura da loja no Shopping Morumbi, no dia 15 às 10h00, os 500 primeiros clientes ganharão um mimo especial da marca.

 

 

nov
25

Revista AntennaWeb #8 – Especial CINM

A equipe Alem da Moda está de volta para apresentar a nova edição da Revista digital AntennaWeb, a revista digital do IBModa.
Por algum tempo a equipe manteve o foco em trazer para você que nos acompanha o melhor e mais interessante conteúdo em nível pessoal, acadêmico e comercial do universo fashion business e por esta razão reduzimos temporariamente a quantidade de postagens no blog… até agora!
Nesta edição você vai conferir artigos, fashion cases e mais. Com uma nova linguagem orgânica, retomamos o conceito original da revista: voltar-se à narrativa de eventos. Quantos eventos incríveis não estão rolando e têm sua performance restrita? Vamos quebrar o “aqui/agora” e trazer para você todo este material tornando o atemporal e acessível.

A 8ª edição da Revista retrata o CINM – Congresso Internacional de Negócios da Moda, que rolou no segundo semestre de 2013, fruto da parceria do I-Moda com o IBModa, o CINM gerou um conteúdo que vai da abordagem crítica do cenário fashion brasileiro à pequenas dicas com o know how de quem está se dando bem. Acompanhe nossa cobertura, basta clicar aqui e acessar.

Boa leitura!

Revista AntennaWeb: www.antennaweb.com.br
Revista AntennaWeb: www.antennaweb.com.br

A Revista AntennaWeb é mais um canal do Instituto Brasileiro de Moda (IBModa), carro chefe do nosso blog. 

ago
12

Aplauso! Música além da música.

Estão todos comentando sobre a volta de Lady Gaga à carreira. A cantora, que se recuperava de uma cirurgia feita no quadril em fevereiro, está de volta. E nem de longe voltou despercebida, em poucos dias, divulgando apenas uma foto com apologia a figura de Pierrot e através da divulgação de trechos da letra de seu novo single Applause, a performer causou o maior burburinho nas redes sociais. Em geral, a divulgação do single foi marcada por críticas à temática, comparando a atual arte ao cartaz de divulgação do “The Girlie Show World”, turnê da Madonna de 1993. Além disso, muitos compararam o atual trabalho de Gaga com a identidade de David Bowie, sendo a cantora assumidamente sua fã.

Levantadas as questões, seria simples continuar dizendo mais do mesmo. E fingir que Pierrot não fez isto antes de David Bowie que fez antes de Madonna  que fez antes de Lady Gaga. O ponto no qual quero chegar não entra na discussão maçante na qual todo bom fã de música pop está envolto. Ele está diretamente ligado ao comportamento.

A cantora apareceu nua. Inez van Lamsweerde, diretora do videoclipe e responsável pela arte de Applause afirma que há um desejo de se despir para recomeçar tudo do zero.  De certa forma, o comportamento se liga a questão do cenário atual da moda. Com foco em libertação e no maior clima da busca por se tornar memorável a cultura do over e do exagero tomaram conta do pedaço nos últimos dez anos. Gaga soube exatamente como fazer uso desta fase: vestiu-se de carne, usou modelos de sapatos e penteados até então desconhecidos por quem não estava envolvido no universo da moda. E eis que Lady Gaga  reaparece nua, com penteados mais simples e roupas menos ou nada extravagantes.

Individualização. A estrada em que agora muitas marcas embarcam para as coleções de 2014/15. Este marco reforça um pensamento que já me ocorria, a busca pela identidade vem aos poucos deixando de ser pecado. Em forma de filtro e triagem, a busca da expressão do ‘verdadeiro eu’ classifica, seleciona e escolhe de que forma aplicar e reinventar toda a informação que recebemos nos últimos anos.

O público, a cantora, o artista, o designer, o consumidor e o varejista agora vem como referencia o minimalismo e tem como fio condutor a reinvenção. Eles estão nesta busca pela identidade própria. O ‘eu por traz da maquiagem do artista’. E nesta reinvenção não apenas as pequenas e grandes marcas, mas também o indivíduo e o quórum  estão na corrida para transmitir exclusividade, princípios e identidade em todos os seus 360 graus. Desde o slogan do produto até o manual da marca.

Confira Applause.

jun
25

Congresso Internacional de Negócios da Moda – CINM

O IBModa juntou forças com o I-Moda (Instituto de Estudos e Desenvolvimento da Moda) para realizar, em setembro, o primeiro Congresso Internacional de Negócios da Moda – CINM. O projeto do congresso quer reunir profissionais do mundo todo para discutir o panorama global do setor criativo.

Originado a partir do Congresso Brasileiro de Negócios da Moda, realizado no Parque Lage em 2011, o CINM, tem como sede a Firjan, no Rio de Janeiro, que além das suas belezas naturais, é celeiro de muitas das principais marcas de moda do Brasil e possui um lifestyle admirado no mundo todo.

À partir deste clima, o congresso quer pensar fora da caixa e incentivar os seus participantes a fazerem o mesmo. Com uma programação que visa discutir desde a China (fervilho da produção) até a bancarrota analisando o know how de todo o cenário global.

E para abraçar de uma vez a causa da inovação o congresso está de braços abertos para receber as pesquisas e trabalhos de interessados. Portanto se você é um estudante ou profissional conectado à área de moda, administração, marketing, publicidade, arquitetura, design e outras especialidades ligadas a empresas criativas não perca a oportunidade de participar deste congresso inovador e destacar o seu talento num ambiente que promete avançar nas fronteiras do conhecimento.

Saiba mais em: www.cinm.org.br

mar
04

Brasil: vocação para o luxo

Por Silvia Medeiros / RS

Gilles Lipovetsky, que pesquisa o mercado do luxo e visita o Brasil frequentemente fez uma análise da vocação do mercado brasileiro para o consumo de luxo em palestra em Porto Alegre, na semana passada, chegando à conclusão de que o Brasil possui uma forte vocação para esse mercado a ser explorada por empresas nacionais e internacionais.

 

O luxo hoje

A essência do luxo, originalmente artesanal, chega hoje num ambiente competitivo de produções em larga escala e altos investimentos em comunicação. “Hoje o luxo não é só um produto, é uma imagem, pois só o produto não é mais suficiente”, diz Gilles Livovetsky, citando como exemplo a Armani, que hoje investe em hotéis como forma de comunicação para ampliar seu território. Para ele, isso é resultado de uma mudança geral de pensamento da era em que vivemos, chamada por diversos autores de hipermodernidade, e que inclui não apenas a expansão do consumo como um todo, mas também do luxo, que se tornou acessível a variadas classes sociais. “Não existe só um luxo, mas vários luxos”. Para acompanhar esses novos tempos, e por muitas vezes tentar estar à frente dele, as empresas premium criaram novos modelos de gestão: se antes eram baseadas na tradição, hoje a lógica é a da inovação rápida. Mas mesmo assim, o luxo demanda tempo, tradição e cultivo: “é como o amor”.

Agora as grifes de luxo assimilaram os métodos do mercado de massa. Segundo Lipovetsky, duas décadas atrás uma marca lançava um perfume a cada sete anos. Hoje, a cada ano, são lançados 800 novos itens. “O novo cria o desejo, é excitante. Se você não lança uma novidade, fica para trás”. Apesar de luxo não ser sinônimo de moda,  agora ele cruza com a lógica do mundo fashion, justamente pela inovação constante. Isso foi ainda mais reforçado a partir de 1990, quando as grandes maisons passaram a contratar nomes da moda para comandar suas empresas, como a Hermès, com Jean Paul Gaultier: “São pessoas da moda que entraram no ramo do artesanato, característica das casas até então”. Além disso, os ambientes que antes eram apenas para a compra, agora são verdadeiros templos desenhados pelos melhores arquitetos: “A loja é também a marca”.

A ligação entre o luxo e a arte não é algo totalmente novo, mas agora a união dos dois campos está mais forte e cada vez mais experimental, com a participação de artistas como Stephen Sprouse e Takashi Murakami, que criaram bolsas chiques com grafite e estampas, por exemplo. “Isso dá ao mundo do luxo uma significação artística”, explica. Nesse contexto, as vitrines ganham intervenções de artistas e decoradores, ou podem até acomodar galerias de arte em um de seus andares. Lipovetsky resume todas essas inovações em um pensamento: “A modernidade coloca ordem. A hipermodernidade é a era do cruzamento”. Esse cruzamento, no caso do luxo, está na integração da idéia de respeito à economia, descolando a associação do luxo ao desperdício: “o homem hoje esta obcecado pela economia”, conclui Gilles Lipovetsky.

 Luxo no Brasil

A percepção do filósofo e sociólogo francês sobre a relação dos brasileiros com o luxo é de que aqui, assim como nos países emergentes em geral, a ascensão da classe média e dos novos ricos incentiva a tendência de querer exibir suas conquistas materiais, e a tradução destas conquistas é feita por meio principalmente de bens e serviços de luxo.

Para Lipovetsky, a festa está nos primórdios do o luxo: a celebração seria uma variante do luxo em todas as civilizações, pois na festa se gasta mais do que o necessário, se veste, se come, se bebe, e isso não ocorre somente com os ricos, mas em todas as camadas sociais. E a festa está fortemente impregnada no imaginário brasileiro:  ocorre em todas as regiões do Brasil, e tem no seu expoente máximo o carnaval. Mas há outros motivos que tornam o Brasil um excelente mercado para o consumo do luxo, além do desenvolvimento econômico pelo qual vem passando.

O Brasil foi forjado no catolicismo, que demonstra claramente essa  suntuosidade com suas igrejas espalhadas por todo o Brasil. Segundo Lipovetsy, “nos países de origem protestante, isso é mais discreto”. Para ele, as mulheres brasileiras e sua relação com o corpo também pode ser considerada como uma forma de luxo: “alguns podem dizer que o erotismo é um excesso. Para outros pode ser uma forma de luxo exibir o corpo em forma. Isso é algo interessante para ser mais estudado”.

A palestra

A diretora e gestora da Luxo Brasil, Marinez Prettoem parceria com o fundador da consultoria Maison du Luxe,Cláudio Diniz, trouxeram a Porto Alegre o filósofo e sociólogo francês Gilles Lipovetsky, para uma palestra que aconteceu no dia 27 de fevereiro no Mezanino do Iguatemi Corporate. Faz parte de uma série de iniciativas da Luxo Brasil, que busca trazer capacitação para o mercado premium no país.

A Foto acima

Cinco anos de um árduo trabalho de mineração no interior da Paraíba, levaram Heitor Dimas Barbosa a encontrar os primeiros cristais de uma pedra, cuja cor de um azul neon único impressionou o GIA –Gemological Institute of America, o respeitado instituto responsável pela análise das pedras encontradas por ele. Isso foi em 1989 e a partir daquele momento, as gemas tornaram-se objeto de desejo de joalheiros e colecionadores, que a denominaram Turmalina Paraíba.

Vale lembrar que existem turmalinas de vários outros tons e azuis como as brasileiras, mas o segredo da beleza da nossa pedra está no brilho que é atribuído às quantidades específicas de cobre nela contida. Outra coisa interessante em relação à Turmalina Paraíba, é que comumente ela possui em seu interior uma boa quantidade de ouro. De qualquer forma é o cobre que dá à ela o seu brilho inconfundível. A Turmalina Paraíba é extremamente rara, mais até que os diamantes, o que a torna ainda mais cara. O que acontece é que as minas são limitadas e a sua retirada é feita à mão, com instrumentos como cunhas e marretas. Os poucos veios existentes no estado da Paraíba são tão finos quanto um lápis, portanto as gemas, quando encontradas, costumam ser muito pequenas e fragmentam facilmente. Todas essas dificuldades, tornam a pedra mais rara e mais cara. Os grandes e mais conhecidos joalheiros como a Amsterdam Sauer e a H. Stern admitem ter poucas jóias com a gema, pois consideram que o seu valor alto limita o mercado aos consumidores que já possuem todas as outras pedras.

Pela beleza das jóias dá pra imaginar quantos consumidores têm condiçoes de adquirí-las, não dá? (http://www.viladoartesao.com.br/blog/2009/08/o-brilho-da-turmalina-paraiba/)

jan
30

Cabide Online no Facebook

Os cabides têm uma espécie de tela integrada, que exibe um contador, responsável por mostrar aos clientes o número de pessoas que curtiram aquela peça. Os internautas, por sua vez, poderão interagir com a coleção de roupas disponíveis na página do Facebook, através do aplicativo C&A Fashion Like. Os resultados computados serão imediatamente enviados para o cabide da peça de roupa correspondente na loja.

dez
20

Quem vai para o Rio levanta a mão!

Mesmo para quem não pretende ou não pode ir ao Rio nesse verão, não adianta. O Rio chegará até você! Então, antecipe-se e saiba o que será o verão que começa amanhã.

As novas cores da orla estampam as 50 mil barracas (conhecidas em outras paragens como guarda-sol) que vão substituir as atuais vermelhas, do Leme à Barra, com folhagens tropicais, gaivotas e reproduções do calçadão em cores capturadas do cenário natural, criadas pela designer Leila Fittipaldi a partir de uma lona areia, com o objetivo de deixar o visual menos poluído e mais harmônico. Mas isso é só o começo: há mais 49 novidades na matéria publicada pelo Globo, “Cinquenta tendências de moda, comportamento, cultura, lazer e beleza para o verão”:

Festa na laje, Sorvete Nas nuvens, samba no Parque de Madureira, óculos espelhados, ‘Sashimi’ de coco, unhas candy colors, ‘Iogogrego’, biquíni de cós alto, Ioga no mar (e na lagoa), Stella Artois, Sacolé, Quiosque Gávea Beach Club em São Conrado, Feijão amigo, Tucano, Raça Negra Plaquinha do bem, espreguiçadeiras na orla, DEZ iNOVE, pulseirinhas peruanas, Açaí branco, Mohandas e seu “Etnopop”, Arvrão, skates da Farm para elas, pãozinho artesanal, Baile da Rosa, Camisetas com listas (não confunda com listras), carta de águas minerais nos restaurantes, Baby do Brasil, casa de praia da Farm, Espaço 7zero6, sucos ricos em ferro, bolsa de plástico transparente ou colorido na praia – se conseguir fazer uns saquinhos internos de tecido de oncinha ou florzinha melhor ainda.

Tudo isso e muito mais mostrando como e porque o Rio de Janeiro, além de mais lindo ainda, é o lugar que reflete tendências e lança moda para o Brasil e resto do mundo. A música que embala o verão carioca na voz do Rei mostra quem é o Rio: “Esse cara sou eu”…

Cai lá!

Leia a matéria do Globo:
“Cinquenta tendências de moda, comportamento, cultura, lazer e beleza para o verão”

Entre no clime, assista ao vídeo:
Rio Home City

 

 

 

dez
10

Lá vem o verão: Havaianas com tecnologia, recordações e games

A Havaianas está lançando a Havaianas Pac Man, confeccionada em borracha com palmilha  texturizada em “grão de arroz”, que ajuda no controle e aderência durante as caminhadas, e tem suas   estampas  inspiradas no Pac Man.Desenvolvida para os amantes dos games, com toda certeza vai bombar nos pés da galera, trazendo diversão e nostalgia no verão.

Veja o filme de lançamento:

Posts mais antigos «